Google Translator - choose your language

26 de dezembro de 2010

Malgas (3a. parte)

Aqui está a parte final da série sobre as malgas fabricadas no Brasil.
Se você perdeu as duas partes anteriores, clique aqui para acessar a parte 1, ou clique aqui para acessar a parte 2.


malga grande
Fábrica de Louça de Pó de Pedra Angelo Rizzi & Irmão | Pedreira - SP
louça de pó de pedra | decoração à mão livre
1914+
coleção Washington Marcondes




malga grande
Fábrica de Louças Santo Eugênio | São José dos Campos - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
1923+




malga diminuta, de consumo individual
Fábrica de Louças Santo Eugênio | São José dos Campos - SP
louça de pó de pedra | decoração com aerógrafo e filete
1923+
coleção Porcelana Brasil



malga pequena, de consumo individual
Fábrica de Louças Santo Eugênio | São José dos Campos - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
1923+
coleção Washington Marcondes




malga grande
Fábrica de Louças Santa Helena | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
1952+
coleção Washington Marcondes




malga média
Fábrica de Louças Santa Helena | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
1952+
coleção Washington Marcondes




malga pequena, de consumo individual
Manufatura Brasileira de Louças | São Caetano do Sul - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola e filetes
1947/1952
coleção Museu Histórico de São Caetano do Sul




malga grande
Fábrica de Louças Adelinas | São Caetano do Sul - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola e filetes
circa 1929
coleção Washington Marcondes




malga grande
Fábrica de Louças Adelinas | São Caetano do Sul - SP
louça de pó de pedra | decoração à mão livre
circa 1930
coleção Museu Histórico de São Caetano do Sul




malga grande
Fábrica de Louças Adelinas | São Caetano do Sul - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola e filetes
1933/1937




malga grande
Fábrica de Louças Adelinas | São Caetano do Sul - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola e filetes
1933/1937




malga pequena
Cerâmica Mauá | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estampa (carimbo)
déc. 1960




malga pequena
Cerâmica Mauá | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estampa (carimbo)
déc. 1960
coleção Washington Marcondes




malga grande
Cerâmica Mauá | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
datação desconhecida (sem foto da marca)
coleção Maria Bernardete da Silva




malgas diminutas, de consumo individual
Cerâmica Mauá | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
déc. 1950
coleção Porcelana Brasil




tamanho desconhecido
Cerâmica Iguassú | Campo Largo - PR
louça de pó de pedra | decoração com estanhola e filete
? 1943/1963+
coleção Fabiano Lopes de Paula




malga pequena
Fábrica de Louças Luso | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
1926/1953|54
coleção Washington Marcondes




malga pequena
Cerâmica Santa Helena | Mauá - SP
louça de pó de pedra | decoração com estanhola
1952+
coleção Washington Marcondes

15 comentários:

  1. Caro Fábio,
    Como lhe prometi no blogue do Luís Y, cá estou a visitar o seu blogue, o que faço com frequência, mas desta vez a deixar um comentário. Já tinha comentado um outro post, não me lembro qual, mas como não obtive resposta, fiquei desmotivada para voltar a comentar. Há ainda uma outra coisa q me desmotiva: o facto de não aparecer o comentário de imediato, porq gosto de reler o q escrevo depois de publicar a mensagem.
    Bem, mas o q interessa mesmo é q gostei imenso desta colecção de malgas q aqui mostrou, uma forma básica que pouco difere de umas para as outras mas abrilhantada por uma variedade enorme de decorações, mais ou menos ingénuas, mais ou menos coloridas.
    Confesso-lhe q este é talvez o meu formato de loiça preferido, em faiança ou em porcelana, só q dou preferência aos tamanhos pequenos. As taças de chá inventadas pelos chineses e depois copiadas na Europa pelas fábricas de porcelana no séc. XVIII, são a minha perdição e já consegui reunir uma pequena coleção delas. Ainda no penúltimo post do meu blogue mostrei um par de taças de chá Derby com marca do séc. XVIII, acho-as uma pequena maravilha.Bem, por hoje já chega de conversa.Parabéns pelo seu blogue q contém informação muito variada e interessante sobre este mundo da cerâmica.
    Um abraço
    Maria Andrade

    ResponderExcluir
  2. Olá cara Maria Andrade,
    Obrigado por sua visita, e me perdoe se da outra vez eu não respondi. Ou eu não vi a mensagem, ou estava fora da cidade, e acabei deixando passar.
    As mensagens não estão mais sendo moderadas, elas aparecem de imediato, exatamente como no blog do LuísY. Eu mesmo achei chato o sistema com moderação, pois causava atraso nas mensagens.
    Que bom saber que você, como eu, é uma fã de malgas! Eu não desgosto das grandes, mas talvez o meu tamanho preferido seja do pequenino, para café, ao médio, daquelas que poderiam ser usadas para um mingau ou uma sopa ou creme. Acho que o fato de serem para se segurar com a mão que crie uma certa intimidade com a peça que eu gosto tanto.
    Já li uma vez que é justamente a intimidade que se cria entre a xícara e seu usuário é que a torna a peça mais colecionada de todas. Não sei se é verdade, mas parece fazer sentido, não acha?
    abraços e até uma próxima!
    Fábio

    ResponderExcluir
  3. Comentei, no post anterior, sobre a maravilhosa pesquisa que você fez e sobre a necessidade de uma escala para sabermos o real tamanho das peças. Parabéns pelo trabalho! Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Fui lá no blog "velhariasdoluis" sugerido por você e adorei!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Jane,
    Obrigado pela visita e os comentários. Apesar de reconhecer a importância de uma escala, como estes posts não tem um caráter científico, ou documental mais severo, particularmente não gosto das escalas; elas poluem as fotos.
    abraços e ótimo 2011!!

    ResponderExcluir
  6. Maria grace15/3/11 10:19

    Olá,Fábio
    Lindas as suas malgas.Mesmo muito bonitas ,eu diria
    Também tenho cerca de umas 40
    Todas velhinhas,entre grandes e médias
    Um dia vou enviar fotos
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá Maria Grace!
    Malgas são peças encantadoras! Eu adoro.
    Infelizmente nem todas as acima são minhas; há várias de coleção de amigos ou de sites de leilão.
    Envie suas fotos sim! Vou gostar de ver.
    abraços

    ResponderExcluir
  8. Esta cerâmica faz-me lembrar a nossa Massarelos aqui de Portugal..

    Flávio

    ResponderExcluir
  9. Olá Flávio,

    As malgas brasileiras, mesmo que em sua maioria fabricadas por imigrantes italianos, têm mesmo alguma semelhança com as portuguesas.

    abraços

    ResponderExcluir
  10. Olá, Fábio. Cheguei há pouco em casa com um bulinho de chá da porcelana Real e estava tentando achar este post no seu blog. No lugar que fui hoje (Instituição Assistencial Meimei - São Bernardo do Campo), o feirão tinha 4 malgas com o mesmo desenho (flor ou crisântemo azul) da porcelana Mauá (locomotiva), em tamanho crescente. Fiquei com pena de não ter dinheiro e comprar pelo menos uma, só deu para pegar o bule... E tinha uma tigela linda, com aqueles desenhos infantis que você gosta, só que agora não recordo a marca.
    Será que você me permitiria enviar uma malga para você, se eu puder voltar lá mês que vem? Posso enviar para um endereço de caixa postal.
    Um abraço,
    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Obrigado! Vou adorar receber esta sua doação para o meu acervo!
      Em tempo: a louça de faiança que leva a marca da locomotiva é na verdade da CERÂMICA MAUÁ, que foi uma outra fábrica, completamente distinta da Porcellana Mauá, ambas da CIDADE de Mauá. Eu até gosto mais da Cerâmica Mauá do que a Porcellana Mauá hoje em dia.
      abraços
      Fábio

      Excluir
    2. Combinado! É interessante, esse tipo de peça (malga) é o que mais tem nesse lugar, a mais ou menos 4 reais a peça... As 'xicrinhas' de café que eu quero, porém, nada! Hehehe. Obrigada pela informação sobre a CERÂMICA e a PORCELLANA Mauá. Eu sabia que uma delas tinha a locomotiva e/ou o sol nascente, realmente não lembrava qual!
      Abraços
      Angela

      Excluir
    3. Olá Angela,
      Se houver malgas de outras fábricas antigas, por favor me avise! Atualmente tenho interesse principalmente nas antigas fábricas do interior de São Paulo e Paraná, pois estas peças não chegavam ao Rio naqueles tempos, era uma produção mais local.
      Não se preocupe, todo mundo confunde a Cerâmica Mauá com a Porcellana Mauá. Na verdade, costumam chamar tudo que foi fabricado em Mauá de "Porcellana Mauá". As marcas da locomotiva e do sol nascente são ambas da Cerâmica Mauá. A marca da Porcellana Mauá sempre foi o "PM" cercado pelo nome da fábrica.
      abraços!

      Excluir
  11. Aviso, sim! Lembro de ter visto peças da Real, Cerâmica Mauá, Vera Cruz, Nadir, Pozzani e uma senhora pegou uma forma de pudim da Weiss na minha frente. Mas a maioria era pratinhos de sobremesa ou pires sem xícara, ou xicrinhas de café. Em maio, estive lá e havia um número sem fim de malgas, e a mulherada estava pegando tudo, dizendo que "precisavam de tigelinha para sorvete"!!! O público que frequenta o lugar é extremamente carente, então me abstive de gritar "heresia!", rsrsrs. Afinal, é um feirão de usados, as peças estão à disposição de todos!
    Talvez eu volte sábado que vem, meu marido quer comprar uma máquina de escrever antiga que está lá há algum tempo.
    Abraços!
    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As malgas sempre foram usadas para consumo de todo tipo de bebida e alimento, então, elas não estão erradas em querer usar as malgas para sorvete. O único problema é que estas peças não são mais recomendadas para uso com alimentos, pois qualquer tipo de microorganismo se instala nas fissuras (craquelados).
      abraços!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...