Google Translator - choose your language

20 de fevereiro de 2010

Cavalinho Sacavém


Hoje eu vi em um site de leilões aqui no Brasil um prato de faiança português com o motivo "Faisão", produzido pela fábrica Sacavém,



Que me fez lembrar um motivo muito reproduzido em Portugal, o "Cavalinho", da mesma fábrica Sacavém



mas que foi produzido por outras fábricas portuguesas, recebendo o padrão outros nomes, como "Estátua"



Quem quiser se deleitar com uma grade aula sobre o padrão "Cavalinho" e outros similares europeus, não pode deixar de conferir o post Travessa Cavalinho da Fábrica de Sacavém, no blog "VELHARIAS" de LuisY, onde sempre aprendo muito sobre louça portuguesa.

Foi lá, por exemplo, que aprendi que este padrão "Cavalinho" é mais um padrão português derivado de uma padrão inglês, chamado "Grecian Statue". Procurei uma na internet para ilustrar o padrão inglês:




Mas o que eu queria mesmo escrever, na verdade mais mostrar do que escrever, ao ver o prato "Faisão" no site de leilões, são os padrões produzidos aqui no Brasil, que eu sempre achei parecidos com o "Cavalinho", não exatamente porque o desenho é igual ou uma variação do motivo português, mas pelo "clima" do padrão decorativo, seja pela borda decorativa, ou os motivos centrais. Aqui vão alguns!

Fábrica de Louças Ceramus

Este padrão da Ceramus, do qual até hoje só vi xícaras, e nunca um prato (infelizmente) é o que mais me lembra o "Cavalinho", por conta da pequena construção, talvez um castelo, na reserva em meio às flores na borda.




esta xícara tem uma história curiosa: eu comprei 2 píres de café logo no início de minha coleção de louças brasileiras de um vendedor "de chão" da feira da praça XV. Na verdade, eu comprei com ele na ocasião outras coisas, e os pirs estavam jogados no meio da bagunça, imundos, cobertos de terra até, e eu pedi e ele me deu de brinde. E um dos motivos d´eu querer os pires é que me lembraram o "clima" do padrão "Cavalinho". Fiquei com estes pires guardados por mais de 3 anos, até que um dia, em um ferro-velho aqui perto de casa, achei EXATAMENTE duas xícaras de café, SEM OS PIRES. Parecia brincadeira! Comprei, e finalmente completei o simpático par!





Fábrica Santa Rita


tá bom! tá bom! Este parece mais uma variação de algum motivo oriental, mas eu me lembrei dele ao pensar no "Cavalinho"

Então, se é para forçar a barra, aqui está um prato que não tem praticamente NADA a ver com o "Cavalinho", mas que me veio agora à cabeça, e eu gosto muito:

Cerâmica Matarazzo:

2 comentários:

  1. Só um adendo: durante e após o Renascimento, as estátuas de cavalos montados por generais tinha um código. Se o cavalo estava com as 4 patas no chão, o general podia ser famoso, mas não tinha ido para a guerra. Se tinha uma das patas levantadas, ele foi à guerra mas não morreu nela; se tinha as duas patas dianteiras levantadas, como no motivo em questão, o general tinha ido à guerra e morreu em batalha. Claro que o "cavalinho" retrata na porcelana um motivo de heroísmo. Parece que esse código funcionou mais durante o Renascimento e o período Barroco...

    ResponderExcluir
  2. Ana Ferreira15/12/11 11:12

    será que alguém me poderia ceder mais informações sobre esta imagem do "Cavalinho"? Necessito para um trabalho académico e não consigo encontrar em parte alguma a história destas imagens!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...