Google Translator - choose your language

4 de janeiro de 2014

Fábio Carvalho e Oficina da Formiga

Nunca pensei que iria um dia fazer uma postagem sobre mim mesmo neste blog, e na verdade, preferia mesmo nunca fazê-lo, para não correr o risco de parecer narcisista. Mas acontece que no final de 2013 eu tive a incrível oportunidade de fazer uma Residência Artística na Oficina da Formiga, uma cerâmica que fica em Ílhavo, Portugal, criada em 1992 por Jorge Saraiva, e me dá imenso prazer poder compartilhar esta experiência única com meus seguidores.


Jorge Saraiva - foto: Oficina da Formiga

Fábio Carvalho - foto: Oficina da Formiga

Nesta residência eu pude aprender e explorar com o Mestre Jorge Saraiva as técnicas e métodos portugueses tradicionais da pintura com estampilha (estanhola, stencil ou molde vazado) em faiança sobre peça chacotada com vidrado cru, surgidas no século XIX, e há muito desaparecidos, não mais adotados nas indústrias com produção em larga escala. A Oficina da Formiga é uma das poucas cerâmicas, senão a única, que de forma corajosa preserva e dá continuidade a estas técnicas.

Fábio Carvalho e Jorge Saraiva abrindo as estampilhas.
 foto: Oficina da Formiga
Depois desta experiência passei a ter ainda mais respeito e admiração pelo trabalho dos mestres do passado. Mesmo hoje em nossos dias, com tantos aparatos tecnológicos, fornos elétricos de temperatura constante e bem controlada, pigmentos, vernizes e vidrados industriais com precisão de laboratório, materiais especiais para confecção das estampilhas, é sempre um enigma e uma surpresa o que vai sair dos fornos. Imaginem no tempo em que tudo era mais precário e intuitivo.


foto: Oficina da Formiga
Abaixo, deixo-lhes algumas das peças que produzimos, a partir de dois conjuntos de estampilhas criadas por mim, e devidamente retificadas pelo Jorge Saraiva, e abertas por nós com ajuda da Milú, esposa e colaboradora de Jorge.

Em tempo: todas as bordas usadas nos medalhões são do acervo da Oficina da Formiga, e são padrões tradicionais da faiança portuguesa, caprichosamente recuperados pelo Jorge Saraiva. Nestas eu fiz modificações de cor de forma a dialogarem melhor com os soldados no centro da peça.





série Medalhão Monarca
faiança vidrada e policromada à mão com uso de estampilhas criadas pelo artista
2013 | 31 cm (d) cada 

16 comentários:

  1. Parabéns amigo Fábio! Os pratos ficaram muito bonitos. Um abraço e votos de um bom ano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, querido Júlio!
      Um excelente 2014 para você e para todos por aí.
      abraços

      Excluir
  2. Anônimo5/1/14 16:47

    Os seus pratos são lindos e as cores muito bem conseguidas.Já conhecia o seu trabalho anterior com estas miniaturas de soldados.Vi há algum tempo num blog seu uma exposição no Brasil com vários trabalhos dentro deste tema,que adorei . Os meus parabéns,ainda bem que teve a oportunidade de fazer peças em estampilha à antiga portuguesa.É sempre bom saber que há artistas que não deixam desaparecer tradições antigas. Que 2014 lhe continue a trazer muito êxito ,cumprimentos.Graciete

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Graciete!!
      Um excelente ano para todos!!
      abraços

      Excluir
  3. Experiência maravilhosa! Fico muito contente que tenha compartilhado ela conosco! E parabéns pelas peças, ficaram lindas, e acredito que irão se tornar o xodó de sua coleção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Espero que você esteja certo, e estas peças encontrem sucesso no Brasil. De toda forma, já foi para mim uma experiência feliz, e de grande aprendizado, ou seja, já está muito bem sucedida.
      abraços

      Excluir
  4. Anônimo9/1/14 06:19

    Parabéns pelo seu trabalho. Um bom 2014.
    if

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado, If!
      Um excelente 2014 para todos!!

      Excluir
  5. Como já te escrevi acho muita graça a este contraste entre a cercadura dos pratos, muito portuguesa, e os bonecos do centro, os macho toys, heróis da Marvel. É a América na faiança portuguesa.

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luis!
      As cercaduras fiz questão de usar as tradicionais, caprichosamente reproduzidas pelo Jorge Saraiva, justamente como forma de acentuar o contraste. Mexi com as cores, aqui e ali, para se relacionarem melhor com os soldados, como no último prato, em que "camuflamos" a folhagem da borda igual ao uniforme do soldado.
      Gostei muito da expressão que você criou: a América na faiança portuguesa.
      abraços!

      Excluir
  6. Ainda não tinha visto todos os modelos que tinhas produzido. Os que tinha visto já os achava lindos, mas há alguns que suplantam, sobretudo no equilíbrio cromático.
    Muito bons Fábio, os meus parabéns pela criatividade e pela criação que se estendem também ao Jorge Saraiva com o seu apoio técnico.
    Espero que esteja tudo a correr bem Fábio.
    Até breve
    Manel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Manel! Os parabéns estendem-se mesmo ao Jorge, pois sem o apoio técnico dele, e muitas dicas no processo, nada teria acontecido!
      Está tudo correndo bem por aqui sim, aos poucos a vida vai voltando à sua velha rotina.
      abraços!

      Excluir
  7. Se puder me enviar um email agradeço.
    Obrigada
    Anelise
    anesomeu@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Anelise
      Aqui não é o melhor lugar para tratar deste assunto.
      Eu já lhe enviei um email para sua conta acima.
      obrigadp

      Excluir
  8. Prezado Fabio
    Sou Arqueologo e Historiador. Coordeno o trabalho do sitio da Leopoldina e seu livro sobre as marcas seria de extrema relevancia para nos . Pergunto aonde poderia adquirir um exemplar . Grato claudio ( email pradodemello@hotmail.com )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Claudio,
      Obrigado por seu interesse em meu livro.
      Infelizmente o Guia de Marcas está esgotado.
      abraços

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...