Google Translator - choose your language

30 de janeiro de 2010

No jardim das maravilhas de Rafael Bordalo Pinheiro

por Clara Silva, publicado em 30 de Janeiro de 2010
http://www.ionline.pt/conteudo/44448-no-jardim-das-maravilhas-rafael-bordalo-pinheiro


Lisboa ganhou hoje um espaço verde e mais de mil animais. De loiça




Alice sentir-se-ia no País das Maravilhas se visitasse o Jardim Bordalo Pinheiro. Inaugurado hoje, é mais um dos pequenos refúgios verdes que Lisboa ganhou. Em pleno Campo Grande, no exterior do Museu da Cidade, entrar no jardim é como entrar no mundo da fantasia. Nas paredes recém-pintadas de branco, há gatos assanhados e um lagarto que tenta escapar para a confusão lisboeta. Uma vespa gigante aterrou nos arbustos em forma de labirinto e vários sapos cospem água para um lago recheado de caranguejos e lagostas que, se não fossem de cerâmica, enchiam a barriga a quase 50 pessoas.

São 1205 peças de faiança, a loiça fina de barro com a qual Rafael Bordalo Pinheiro criou bichos desmesurados, que dão vida ao jardim antes abandonado. "Estava mesmo em muito mau estado", garante ao i a artista plástica Joana Vasconcelos, responsável pela concepção artística do projecto. "Nenhuma das fontes funcionava e os pavões eram os únicos animais que ali andavam."

No início do século XX, alguns bichos de cerâmica de Bordalo Pinheiro já habitavam o Jardim da Estrela, em Lisboa, mas entretanto desapareceram. Elsa Rebelo, ceramista de 39 anos, foi quem recuperou os moldes gigantes das peças da cave da Fábrica de Faianças, nas Caldas das Rainha. "Mostrei-os à Joana Vasconcelos e ela ficou maravilhada com aquele património", conta a directora do ateliê artístico da Fábrica de Faianças.



Numa altura em que a fábrica de loiças criada por Bordalo Pinheiro em 1884 estava na iminência de fechar, Catarina Portas lembrou-se de criar uma "garden party" com as peças do artista, caricaturista e jornalista. "Foi salvar duas capelas", diz Joana Vasconcelos, "pegámos no jardim do Museu da Cidade, que precisava de uma vida nova, e salvámos a obra de Rafael".

A Câmara de Lisboa ficou entusiasmada com o projecto e Elsa Rebelo pôs mãos à obra. "Foi um esforço enorme porque os moldes estavam em muito mau estado e com partes em falta", explica. "Quando falamos num molde de uma peça, pode ser um conjunto de 40 moldes com muitas partes inexistentes."

A vespa gigante é o animal preferido de Elsa, mas também um dos que deu mais trabalho. "Depois de irem ao forno, algumas peças podem demorar mais de um mês a secar", conta.

Joana Vasconcelos concebeu a instalação dos animais no jardim: "Enfrentámos o mau tempo do princípio do Inverno e houve alguns atrasos", confessa a artista. Hoje está pronto a ser descoberto e não seria improvável ver um coelho branco de relógio na mão a correr entre os cogumelos de cerâmica.
Jardim Bordalo Pinheiro. Museu da Cidade, Campo Grande, 245, Lisboa. Terça a domingo das 10h às 18h. Entrada gratuita

--------------------------------------------------------------------------------
Belíssima fotogaleria do Jardim Bordalo Pinheiro:
http://dn.sapo.pt/galerias/fotos/?content_id=1483275&seccao=Portugal
--------------------------------------------------------------------------------

Jardim Bordalo Pinheiro é inaugurado em Lisboa

Gazeta das Caldas / Natacha Narciso
8:00 Sexta-feira, 29 de Jan de 2010

http://aeiou.expresso.pt/jardim-bordalo-pinheiro-e-inaugurado-amanha-em-lisboa=f560694


Trata-se de um projecto concebido pela artista plástica Joana Vasconcelos, sob ideia de Catarina Portas, que visa homenagear Bordalo Pinheiro e ainda criar um novo espaço de lazer.

Desta forma os bichos (macacos, caracóis, sardões ou caranguejos) e os vegetais (folhas de couve, cogumelos gigantes e vários motivos marinhos) que foram criados na fábrica caldense vão agora dar uma nova vida, contribuindo para um agradável passeio numa zona de passeio junto àquele espaço museológico.

"Este foi um desafio muito exigente", contou Elsa Rebelo, directora artística da Fábrica de Faianças, referindo-se ao moroso trabalho de pesquisa que foi necessário para recuperar os antigos moldes de Bordalo e fazer renascer todos os animais e motivos decorativos que agora embelezam aquele parque lisboeta.

"Foi necessário um grande processo de investigação também ao nível dos métodos e das técnicas a utilizar para recuperar moldes e modelos", contou a ceramista.

Ao todo, neste projecto terá trabalhado uma dezena de funcionários da fábrica caldense que realizaram centenas de peças de vários tamanhos. Há pequenas ostras, caracóis, andorinhas e até as gigantes vespas. Alguns destes animais fizeram parte da decoração do Pavilhão Português na Exposição Universal de Paris em 1889 enquanto que outros embelezaram o Jardim da Estrela em Lisboa.

A maioria são peças criadas por Bordalo Pinheiro, mas há uma fonte, decorada com sapos, que é da autoria do seu filho, Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro.

"Fizemos recentemente duas lagostas gigantes, uma para o jardim e outras para a Colecção Berardo", contou a ceramista. Segundo Elsa Rebelo, tem existido procura por estes animais "renascidos" dos antigos moldes (muitos têm que ser recuperados) por parte de entidades que sabem que este é um verdadeiros desafio técnico. "Já o era no tempo de Bordalo e hoje em dia continua a ser", disse a responsável.

Elsa Rebelo espera que o Jardim Bordalo Pinheiro funcione como divulgação e que os animais e vegetais bordalianos "se possam no futuro propagar e decorar outros cantos e jardins", rematou a directora artística da unidade fabril caldense, hoje sob tutela do grupo Visabeira.

A inauguração do jardim amanhã contará com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, o vereador do Ambiente, José Sá Fernandes, da vereadora da cultura e turismo, Catarina Vaz Pinto e da artista. A Fábrica de Faianças caldense também vão estar representada.


Bichos bordalianos também no Museu de Cerâmica

O Museu da Cerâmica e o Grupo de Amigos abre no próximo sábado, dia 30 de Janeiro, uma exposição com um conjunto de nove peças - Cabeça de Burro, Golfinho, Cavalo-Marinho, Caranguejo, Cobra, Lagarto, Caracol, Jarrão Girassol e Cabeça de Cavalo.

A mostra vai apresentar peças de cerâmica de grandes dimensões, reproduções de modelos de Rafael Bordalo Pinheiro e de Joseph Füller, que foram executadas recentemente nas Faianças Artísticas Bordalo Pinheiro.

Esta mostra irá decorrer na sala de exposição temporária do Museu da Cerâmica de terça-feira a domingo, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...