Google Translator - choose your language

16 de novembro de 2008

tipologia: ânforas


Ânforas são vasos antigos de origem grega de forma geralmente ovóide e possuidoras de duas alças. Confeccionados em barro ou terracota, com duas asas simétricas, geralmente terminado em sua parte inferior por uma ponta ou um pé estreito, e que servia sobre tudo para o transporte e armazenamento de gêneros de consumo, tal como a salmoura. Era usada pelos gregos e romanos para conter sobretudo líquidos, especialmente o vinho. Servia também para conter azeite, frutos secos, mel, derivados do vinho, cereais ou mesmo água.

A palavra "ânfora" vem do latim amphora, que por sua vez é derivada do grego αμφορεύς (amphoreus), uma abreviação de αμφιφορεύς (amphiphoreus), uma palavra composta combinando amphi- ("nos dois lados", "duplo") e phoreus ("carregador"), do verbo pherein ("carregar").

Para uma correcta classificação deste tipo de recipiente, existem diversos catálogos (Dressel - ilustração ao lado, Haltern, Lamboglia - ilustração abaixo, Benoit, Gauloise, etc), de terminologia complexa e por vezes dúbia. A história da classificação destes está constantemente a ser alterada, de acordo com os dados que vão sendo recolhidos em diversas escavações arqueológicas em terra e sub-aquáticas.

Em Portugal, principalmente no litoral e ao longo dos principais cursos de água (rios), vão sendo descobertos inúmeros fragmentos deste tipo de recipientes, cuja produção remonta a lugares tão distantes como o mediterrâneo oriental, mundo grego, Península Itálica, província Gálica, Tarraconense e, mais próximas, da bacia de Cádiz e norte de África. Também foram produzidas ânforas em território Lusitano, em épocas mais tardias e geralmente relacionadas com o envase de produtos marinhos ou derivados deste.


fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/ânfora

ESTRUTURA DE UMA ÂNFORA



esquerda: orla (1), pescoço (2), alças (3), corpo (4) e pé (5) ou pedúnculo.

direita: orla (1), pescoço (2), alças (3), corpo (6) e pés (7); se usam ainda os termos conexão (4) e ombro (5) para descrever a evolução das formas.

2 comentários:

  1. Bem legal e oportuna, este post sobre as ânforas. Adorei saber de onde vem a palavra "ânfora"!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Amigo,
    Algumas das anforas do mundo antigo que aparecem nos estuarios portugueses foram feitas em olarias portuguesas de então....Conheço uma dessas olarias na região de Setubal. onde as ruinas romanas dedicadas à pesca são bastantes, estando naquela região localizados varios tanques de salga de peixe e tambem onde era feito o molho de que os romanos gostavam muito....o GARUM....

    Mas tambem durante as descobertas os portugueses e espanhois fizeram milhares de anforas para transportarem AZEITE e na região de Aveiro(tenho uma orla de uma que encontrei no litoral aveirense), se não foram feitas anforas, as olarias existentes fizeram durante séculos milhares de potes conicos designados por PÃO DE AÇUCAR que na Madeira e no Brasil serviam para escorrer o melaço nos engenhos....

    Antonio Angeja

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...